Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 26 de abril de 2017

 

NOSSO RITMO DE EVOLUÇÃO

De vez em quando vejo algumas pessoas questionando:

Por que as pessoas que prejudicam as outras não colhem os frutos de suas ações? Por que elas não colhem mais rapidamente os resultados dos próprios atos? Não deveria a lei de causa e efeito agir mais rapidamente?

Diante dessa indagação podemos responder que tudo na natureza e no cosmos possui um tempo certo para acontecer. Tudo é um processo, tudo ocorre na hora certa e não se pode acelerar alguma coisa, é preciso deixa-la ocorrer naturalmente. Como diz a máxima: “Não apresse o rio, ele corre sozinho”. Vamos dar um exemplo para que todos possam melhor compreender essa máxima dentro da vida do espírito.

Imagine se todas as vezes que uma pessoa considerada “má” prejudicasse alguém ela recebesse prontamente o retorno de suas ações. Vamos supor que um bandido assaltasse uma pessoa. Logo depois desse assalto, ele fosse rapidamente assaltado por outro bandido e perdesse seu roubo. Ele não teria sequer tempo de experimentar o que é ser um bandido, pois rapidamente a lei de causa e efeito se abateria sobre ele. Nesse caso ele não teria a liberdade de ser o que deseja ser, pois a cada ato de maldade praticado haveria uma resposta coercitiva de uma reação a suas ações. O nome desse processo é karma instantâneo.

O karma instantâneo é a lei de causa e efeito sendo aplicada de forma acelerada, num espaço bastante curto de tempo. Uma pessoa agride e a outra a agride de volta; uma pessoa nos ofende e também a ofendemos; uma pessoa pratica algum mal contra alguém e logo recebe o retorno de sua ação. Esses são alguns exemplos do chamado “karma instantâneo”. Em algumas situações, o karma instantâneo é aplicado, mas não em todas. Caso o karma instantâneo fosse uma regra universal, ele inviabilizaria nossa livre escolha de fazer aquilo que acreditamos ser o correto dentro do nosso grau de consciência e evolução espiritual.

Vamos dar outro exemplo para que esse ponto fique mais claro a todos. Vamos imaginar que um assassino mate uma pessoa e logo depois do crime ele inevitavelmente já fosse morto por alguém. A lei de causa e efeito nesse caso agiria de forma rápida e certeira. Mais uma vez isso não permitiria que existissem assassinos no mundo e tampouco permitiria que um assassino experimentasse como é ser um assassino. Mais uma vez sua livre escolha de exercer aquilo que ele sente ser correto, dentro do seu nível de evolução, seria vedada por Deus. Nesse caso, constatamos que o livre arbítrio simplesmente não poderia existir. A cada tentativa de uma alma expressar aquilo que ela é, a lei de causa e efeito prontamente interromperia sua liberdade de ação, a liberdade dela manifestar o próprio nível de evolução em que se encontra.

Podemos ir mais longe e afirmar que, caso o karma instantâneo fosse uma lei universal, isso inviabilizaria a própria vida humana deste mundo. Imagine se em nosso mundo o karma instantâneo começasse a ser implementado. As pessoas não poderiam mais mentir, não poderiam mais trair, não poderiam mais cometer erros de nenhuma forma, posto que a cada erro, o karma já recairia velozmente sobre todos. Uma pessoa apegada à matéria rapidamente perderia seus bens e dinheiro; uma pessoa mentirosa rapidamente seria desmentida e exposta; um homem opressor rapidamente se tornaria o oprimido, e assim sequer daria tempo para os espíritos viverem as experiências necessárias ao seu aperfeiçoamento.

Tudo no cosmos infinito funciona dentro de um ritmo definido. Não se pode apressar a planta a crescer; não se pode apressar o rio a fluir; não se apressa o sol a nascer, pois cada coisa tem o seu tempo certo de acontecer. Quem quiser mais informações sobre esse princípio pode se reportar a mensagem “O Tempo de Deus” no blog de Hugo Lapa. Assim também são os espíritos nesse mundo. Não se pode apressar um espírito inferior a se tornar um espírito superior: ele tem seu próprio ritmo, seu próprio momento de crescer e desabrochar. Um assassino não vai deixar de ser assassino de uma hora para outra; um homem mentiroso não deixará de sê-lo em pouco tempo; um aluno mediano não se tornará um expert em alguns dias; tudo ocorre aos poucos, no ritmo de cada um. Tentar apressar o crescimento de alguém pode provocar sua queda, sua destruição.

Dessa forma, a velocidade na aplicação da lei de causa e efeito não daria a oportunidade das pessoas serem o que querem ser, dentro do nível espiritual em que estão nos degraus espirituais da eternidade.  Por isso, Deus sempre nos permite ser aquilo que desejamos ser, com base na lei do livre arbítrio. E para ser o que desejamos ser se faz necessário um tempo certo para se viver aquelas experiências, e esse tempo varia de pessoa para pessoa, de alma para alma. Por esse motivo, é necessário que o mal possa ser mal e aos poucos, dentro do seu próprio ritmo, ele pode ir aprendendo que esse caminho não é o melhor, e assim, pelo seu próprio aprimoramento interior, ele vá abandonando a maldade por si mesmo, dentro do seu ritmo, e não por uma opressão cósmica de causas e efeitos imediatos.

Não se pode punir um gato que pula sobre a mesa de jantar para pegar um peixe delicioso que alguém esqueceu ali. Essa é a sua natureza, seu instinto e é assim que ele vai agir. De igual maneira, não se pode tentar apressar a transformação de uma alma muito imperfeita, ela tem seu próprio ritmo de evolução e ninguém, nem mesmo Deus, pode obriga-la a pular etapas.

Algumas pessoas podem argumentar que o mal praticado deve sim ser severamente reprimido e que as pessoas precisam receber rapidamente o retorno de suas ações. Diante dessa afirmação, eu faço uma pergunta: Você gostaria de receber prontamente todo o retorno do seu karma acumulado? Gostaria de sofrer todas as dores que você já provocou em outros? Gostaria de receber, a cada erro cometido, todas as consequências desse erro? Todos nós não erramos, não somos imperfeitos, já não magoamos e prejudicamos outras pessoas? “Que atire a primeira pedra…” como disse Jesus.

Da mesma forma que você quer ter um tempo para aprender e deseja seguir sua evolução no seu ritmo, os espíritos bastante inferiorizados também possuem esse direito. Estamos ainda no Jardim de Infância de nossa evolução espiritual, e nesse estágio, o aprendizado deve ser bem simples e bem lento, para que haja tempo de ser assimilado por almas ainda tão infantilizadas e imaturas espiritualmente.

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas a distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

Read Full Post »