Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 14 de julho de 2017

Mundos superiores

 

OS MUNDOS SUPERIORES

Não existe felicidade verdadeira nesse mundo.

Muitas pessoas tentam de todas as formas serem felizes aqui, na matéria, e passam a vida buscando sonhos e fantasias mundanas de um amor ideal, um casamento ideal, filhos maravilhosos, sonhos de riqueza material, prosperidade, saúde, boa convivência, casamento feliz, etc.

Mas tudo isso é uma grande ilusão. Ninguém pode ser feliz nesse mundo. O ser humano não conhece a felicidade verdadeira. Acreditamos apenas na falsa felicidade que pode ser trazida pelo marido, pelos filhos, pelo dinheiro, pelo patrimônio, pelo amor humano falho, limitado e cheio de dúvidas… pelo conforto material e pela ilusão de se possuir isso ou aquilo. E a felicidade que é trazida por todas essas condições do mundo é sempre irreal, pois se um dia não tivermos mais conforto material, se o dinheiro acabar, se o marido nos deixar, se nosso filho desencarnar, se perdermos nosso emprego, se nossa saúde falhar, se a pessoa amada nos decepcionar ou abandonar, perdemos nossa “felicidade”. A felicidade que pode ser perdida não é a felicidade real… a felicidade que não depende de qualquer circunstância ou condição no mundo, essa sim é a felicidade real e verdadeira.

Esse é o maior erro de todos nós. O ser humano normal que busca a espiritualidade deseja que seu caminho espiritual o leve a ter uma vida ideal aqui na matéria. Isso é muito claro na maioria das pessoas que se engajam no Espiritismo e no Espiritualismo. Elas buscam o espiritual para melhorar seu casamento; elas buscam o espiritual para se curarem de uma doença; elas buscam o espiritual para estarem satisfeitas no emprego e terem prosperidade; elas buscam o espiritual para melhorarem sua relação com seus filhos; ou para encontrarem o amor de sua vida, ou para aliviar a carga emocional que elas mesmas criaram.

Muitas pessoas podem se decepcionar com o que vamos afirmar agora, mas o espiritual jamais, em tempo algum, poderá suprir essa expectativa de conquistar uma vida ideal aqui na matéria, tampouco a realização de sonhos que são estados de satisfação passageira e prazer mundano. Vamos esclarecer aquilo que o espiritual pode fazer por cada um de nós é nos ensinar a viver em harmonia com a vida que nos rodeia, com as pessoas que aqui estão e com as circunstâncias que nos acometem. Viver a espiritualidade é experimentar um estado de paz e harmonia interior onde todas as coisas do mundo perpassam sobre nós sem nos afetar, sem nos causar sofrimento, sem nos desequilibrar, sem nos criar qualquer tipo de frustração e infelicidade.

A atitude de uma pessoa espiritualizada deve ser, por exemplo: perdi meu emprego… mas isso não importa, pois foi a vontade de Deus e isso tem um significado na minha vida que preciso descobrir, além de entregar tudo ao cosmos. Meu marido me largou: não tem problema, ele é uma alma livre que tem suas escolhas e eu abençoo sua jornada e desejo que ele seja feliz. O espírito mais evoluído sabe que tudo o que a mente julga como mal vem para o seu bem. Sabe também que ele não tem uma história nesse mundo, pois essa história nada mais é do que memória e essa memória é um conjunto de impressões mentais que ele gravou como algo importante de forma arbitrária, com experiências positivas e negativas que até hoje o influenciam.

O ser espiritualizado sabe que ele é uma alma que vive em Deus e que essa alma não tem história, mas sua jornada é a mesma do cosmos infinito. Ele não se deixa afetar por nada, pois tem consciência de que a vida humana é um sonho e o necessário é o despertar desse devaneio ilusório. Por isso, não há possibilidade de vivermos uma vida ideal aqui, pois tudo nesse mundo sempre acaba e esse desejo de uma existência de prazer, amor, sonhos, satisfação, conforto é a principal causa do sofrimento humano. Quando não temos o que desejamos sofremos porque não temos… quanto temos o que desejamos, sofremos pelo medo de perder o que possuímos… e quando perdemos o que desejamos, sofremos pela perda daquilo que era bom e nos satisfazia. Assim, não há e nem pode existir felicidade verdadeira nesse mundo.

A felicidade profunda, a paz profunda, o amor universal, a liberdade infinita… tudo isso só existe nos mundos superiores. Nos mundos mais elevados, os seres vivem em plena harmonia uns com os outros. A paz de espírito é uma realidade presente. Nesses orbes sutis todos trabalham pelo bem de todos. Não existe as noções de “meu” ou “seu”. Não existe qualquer tipo de posse, nem de competições, nem brigas, nem desentendimentos, nem ódio, nem nada disso.

Todos os seres convivem, compreendem um ao outro e respeitam a forma como cada um vive. Nos mundos superiores, ninguém pode mentir para ninguém, pois como existe a telepatia, ou a leitura de mentes, no momento em que um ser está mentindo, todos sabem e logo reconhecem a verdade. Não existem brigas… simplesmente porque não há pelo que lutar, pois todos têm tudo o que precisam em abundância. Todos possuem tudo o que precisam porque ninguém se afirma como o detentor de algo. Os seres desses mundos mais puros não conhecem ou já superaram aquilo que entendemos por propriedade privada, pelo qual tanto se luta, tanto se gera de violência e tanto se morre nesse mundo. A ideia de uma propriedade privada é uma infantilidade, um imaturidade do espírito ainda aprisionado aos aspectos mais grosseiros de sua natureza material.

Os seres desses mundos elevados sabem que nada pode ser de ninguém, nem as coisas e tampouco as pessoas. Como diz o Cacique Seatle: “Como podes comprar ou vender o céu, o calor da terra? Tal ideia nos é estranha. Se não somos donos da pureza do ar ou do resplendor da água, como então podes comprá-los?” Como alguém pode ser o detentor de uma propriedade se tudo pertence exclusivamente ao ser cósmico a quem chamamos de Deus?

Tampouco existe o dinheiro. Nos mundos superiores, quando algum ser precisa de algo, ele vai lá e simplesmente pega o que necessita. Para que o dinheiro se tudo é de todos e todos podem ter tudo? Nos mundos mais elevados, as necessidades da matéria não tem a carga, o peso, a importância que tem aqui na Terra, simplesmente porque a matéria já não existe mais como existe nos mundos carnais. Os mundos superiores são imateriais, ou compostos de matéria mais sutil. Algumas vezes essa matéria é sutilíssima e sequer pode ser compreendida pela nossa mente concreta. A atmosfera espiritual do planeta Terra é pesada, poluída, grosseira, hostil, fatigante, intoxicada. Nos mundos superiores a atmosfera espiritual é sempre tranquila e possui uma leveza e uma sutileza de calmaria total. Há uma energia clara, transparente, acolhedora, calorosa, terna, pacífica, amorosa e muito mais pura. Usamos aqui palavras que conhecemos apenas com fins de analogia, posto que é impossível descrever o que sentimos quando acessamos a aura sutil e elevada desses mundos.

Além disso, os seres que vivem nos mundos superiores já conseguiram se desprender das coisas materiais para poderem obter aquilo que está além da matéria e que é do domínio do espírito. Ao contrário do que muitos podem pensar, esses seres não são superiores aos habitantes da Terra. A palavra “superior” aqui empregada é apenas uma condição temporária. Eles são apenas espíritos mais antigos, que já viveram as provas que estamos experimentando agora. Já passaram por muitas guerras, já acreditaram que podiam possuir coisas e pessoas; já viveram muitas tribulações, muitas catástrofes, muitas desarmonias e sofrimentos terríveis, mas conseguiram aprender com tudo isso e assim foram evoluindo e se desenvolvendo espiritualmente. Todos esses seres são o que podemos chamar de nossos “irmãos mais velhos”. Um dia os espíritos da Terra seguirão este mesmo caminho… e terão o desprendimento suficiente para abrir mão de suas posses materiais e psicológicas, a fim de se elevarem aos reinos espirituais do cosmos infintio, aos mundos conhecidos como “suprafísicos”, onde subsiste apenas o bem, o amor, a paz e a felicidade.

Muitos podem ler essa descrição e desejar integrar esses mundos mais adiantados. Para realizar essa transição entre mundos, ninguém precisa esperar milênios e mais milênios. Qualquer pessoa pode, a qualquer momento, abdicar do planeta Terra e seguir sua ascensão aos mundos superiores. Mas isso requer muito desprendimento, muita renúncia e uma alta dose de fé em Deus. É necessário soltar tudo o que existe nesse mundo para que se torne possível avançar a um mundo sublime. Em outras palavras, é necessário deixar tudo o que gostamos nesse mundo para que possamos cruzar o limiar do mundo inferior a um mundo superior. 

Há bilhões e bilhões de mundos, espaços, esferas ou recantos no cosmos onde os seres puros e transcendentes habitam. Mas enquanto ainda não conseguimos nos elevar a plenitude espiritual desses mundos, é possível entreve-los pela consciência, pelos veículos mais elevados do nosso espírito. Alguns chamam esse processo de “projeção mental”, onde visualizamos nosso ser em elevação cósmica até acessar certos mundos onde reina a felicidade e a pureza. Qualquer pessoa pode tentar essa sublimação e atingir o estado de ser desses mundos, ao menos por alguns instantes. A visão e a experiência da felicidade dos mundos superiores pode nos inspirar ao desprendimento da Terra e a vivência desses reinos de pura paz e felicidade.

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas à distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

 

Read Full Post »