Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Espiritismo’ Category

Mediunidade olfativa

 

O CHEIRO QUE VEM DO NADA: MEDIUNIDADE OLFATIVA

Existem pessoas que veem espíritos, veem energias, tem vários tipos de percepções. Existem aqueles que ouvem os espíritos e também existem aqueles que sentem os espíritos lhes tocando.

Essas são as sensações que costumam ser mais comentadas no meio espírita e mediúnico. Fenômenos desse tipo fazem parte da chamada “mediunidade olfativa”. Um conjunto de manifestações espirituais que infelizmente ainda é pouco divulgada e bastante desconhecida do grande público, mas não deixa de ser menos real do que outras formas de mediunidade.

A mediunidade olfativa pode ser definida como o dom ou a capacidade de sentir cheiros, aromas ou odores que não provém de nenhuma fonte do mundo material, mas que tem sua causa nos planos sutis. A mediunidade olfativa parece ser comum a toda a humanidade… a maioria das pessoas já sentiu, ao menos em algum momento de suas vidas, cheiros, odores ou aromas que vieram “do nada”, ou seja, que não estariam presentes fisicamente no ambiente.

Recentemente realizei uma extensa pesquisa em nossos grupos no Facebook a esse respeito. Nossos grupos têm somados mais de 600 mil membros. Nessa enquete mais de 5000 pessoas responderam a seguinte pergunta:

“Você já sentiu um cheiro, aroma ou odor que veio do nada?”

Aproximadamente 97 ou 98% das pessoas responderam que sim a essa pergunta. Isso mostra o quanto a mediunidade olfativa é mais comum do que pensamos… e pode até mesmo ser a forma de mediunidade mais recorrente que existe, superando até mesmo a mediunidade de vidência, ou seja, o ato de ver os planos sutis e seus habitantes… e também a mediunidade auditiva, a capacidade de ouvir os espíritos.

É importante deixar claro que o plano espiritual não tem cheiros, não tem odores, não tem nenhum tipo de aroma. Inclusive é bom lembrar que no plano material os cheiros também não existem. O cheiro nada mais é do que a forma como nosso cérebro interpreta certas emanações de partículas que se desprendem dos objetos e são conduzidas pelo ar até nossas narinas. É possível afirmar que o cheiro não existe na natureza… os aromas de flores, por exemplo, não existem como tais, eles são apenas a forma como o sentido do olfato capta as partículas do ar. Essas partículas provocam uma impressão em nossas narinas que são traduzidas pelo nosso cérebro como aquilo que conhecemos como “cheiros” ou “odores”. Assim, tanto no plano material e muito menos no plano espiritual existem aquilo que nós denominamos como cheiros, odores ou aromas. O cheiro é uma impressão do cérebro.

Mas se no plano material e tampouco no plano espiritual existem cheiros, como pode ser possível alguém captar esses odores que viriam do plano espiritual? Para compreender esse ponto é preciso saber que os espíritos emanam pela sua própria mente a vibração do cheiro que eles se acostumaram a sentir durante sua encarnação, ou os cheiros que marcaram muito sua vida na Terra, da qual ainda trazem muitas memórias, apegos e até mesmo vícios profundos. Por exemplo, um fumante sentiu boa parte do cheiro de cigarro durante sua vida. Por esse motivo, o odor do tabaco é algo que ele lembra a todo momento… não apenas por ter sentido esse cheiro durante boa parte da encarnação, mas principalmente por estar ainda apegado ao cigarro, dependente dele, e por isso sua consciência está ainda fixada nesse vício; ele ainda se encontra preso ao desejo de fumar e continuar fumando. Por conta disso, ele irradia a sua volta não o cheiro do cigarro, mas a vibração do cigarro… vibração essa que quando chega no plano material é interpretada pela nossa mente como sendo o próprio cheiro do cigarro.

Já que estamos falando do cigarro, um dos odores que mais as pessoas relatam sentir é o odor do tabaco. Muitos sentem também o odor de álcool e quando isso ocorre, é muito provável que existam espíritos alcoólatras rodeando a pessoa.

Há estórias de Chico Xavier a esse respeito. Conta-se que Chico Xavier às vezes pegava determinados objetos e os magnetizava. Quando as pessoas próximas pegavam no objeto, sentiam nele aromas de rosas, que exalavam por todo o ambiente, deixando as pessoas maravilhadas com esse misterioso fenômeno. Algumas pessoas relatavam que, após segurarem alguns segundos nas mãos de Chico Xavier, suas mãos ficavam impregnadas com o perfume de rosas. Se é verdade ou não que Chico Xavier possuía esse dom de aromatizar ambientes e objetos com perfume de rosas não sabemos, mas muitas pessoas contam estórias semelhantes sobre esse fenômeno.

Decidimos criar uma lista dos cheiros espirituais mais comuns e seus significados. Essa lista não deve ser encarada de forma definitiva, como se fora um guia infalível para resolver todos os casos. A lista abaixo é apenas uma referência para nossos estudos, a fim de oferecer certas indicações e sinais das presenças espirituais que podem estar nos rodeando. Assim, os cheiros que parecem ser os mais comuns na mediunidade olfativa são:

1 – Cheiro de cigarro: Muito provável que odores de tabaco sejam provenientes de desencarnados que fumaram durante boa parte da encarnação e ainda sentem falta do tabaco. São espíritos que podem experimentar grande sofrimento e angústia por sua dependência, que ainda persiste até hoje.

2 – Cheiro de álcool: Muito comum em desencarnados que durante suas vidas foram alcoólatras, pessoas que viveram na bohemia, em bares e envolvidas com jogos de azar diversos. É muito comum ver espíritos de alcoólatras ainda presos à Terra e utilizando os corpos materiais de pessoas vulneráveis à obsessão para assim usufruírem dos prazeres da bebida. Eles influenciam o encarnado a beber e conseguem experimentar a sensação do álcool através deles.

3 – Cheiro de enxofre: É comum em espíritos inferiores, provavelmente ligados em consciência ao umbral, onde expiam suas faltas, seu ódio e seus crimes contra a humanidade.

4 – Cheiro de comida: O aroma dos alimentos não é muito comum de ser sentido. Mas em casos raros pode ter como causa espíritos que durante a encarnação eram muito apegados à comida, e por isso ainda exalam odores dos alimentos. Esse tipo de cheiro é mais comum em espíritos inferiores, ainda aprisionados em paixões inferiores e desejos por certos alimentos, sendo o mais comum a carne bovina, suína e o frango.

5 – Cheiro de velas e incensos: É comum a espíritos que foram pessoas religiosas, espíritos devotaram boa parte de encarnação à práticas espirituais, de forma positiva ou de forma dogmática e ortodoxa. Pode vir de espíritos de padres, monges, frades, freiras, sacerdotes, etc. Nesse sentido, pode ser algo positivo ou negativo)

6 – Cheiro de fumaça: Pode ser proveniente de desencarnados que morreram queimados, ou morreram em acidentes diversos, como carros, motos, ônibus, barcos, que envolveram fogo e queima de combustíveis, ou podem ter desencarnado num incêndio de menor ou maior porte.

7 – Cheiro de urina ou fezes: Comum em espíritos que morreram muito idosos e precisavam de cuidados especiais. Esses espíritos podem ter permanecido com seu corpo astral impregnado com esses odores por muitas vezes não conseguirem controlar suas necessidades fisiológicas, vindo muitas vezes a urinar ou defecar em si mesmos ou em fraudas geriátricas. Os espíritos que ainda não se despojaram do trauma do envelhecimento associado à doença podem manifestar esses odores.

8 – Cheiro de perfumes diversos: Pode indicar a presença de um desencarnado que durante a vida fez uso frequente desse perfume. Esse fenômeno pode indicar a presença de um espírito de amigos ou familiares que irradiam certos aromas pelos quais eram conhecidos para sinalizar sua proximidade dos encarnados, ou de forma inconsciente, por estarem presos à Terra e ligados a uma pessoa.

9 – Aromas de flores diversas: O cheiro de rosas parece ser o mais comum, mas também é possível perceber aromas de outras flores, como lírios, laranjeiras, lavanda, jasmin, dentre outros. Os aromas florais geralmente indicam presenças de seres luminosos próximos a nós. Muitas vezes podem sinalizar a presença de um espírito mais adiantado, que se encontra à serviço de Deus para nos ajudar em diversos aspectos. Nossos mentores ou guias espirituais podem se apresentar algumas vezes com aromas de flores, a fim de que possamos identificar que estão próximos, nos auxiliando em nossa elevação espiritual dentro das provações da existência material.

Geralmente se costuma fazer uma associação entre os aromas agradáveis (eflúvios aromáticos, perfumes de flores, essências de ervas, aromas diversos), como estando relacionados com a presença de espíritos de luz, espíritos elevados, mentores, guias espirituais, espíritos afeitos a nós, etc… Por outro lado, os odores desagradáveis, fedidos, pestilentos, pesados, abafados, associados à presença de espíritos trevosos, obscuros, umbralinos, etc.

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas à distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

Read Full Post »

Cirurgia bariátrica espiritual

 

CIRURGIA BARIÁTRICA ESPIRITUAL

Tem muita gente falando da tal Bariátrica espiritual, que parece ter virado uma obsessão para muitas pessoas que querem emagrecer.

Vou deixar aqui a minha visão a respeito…

Vivemos hoje numa sociedade consumista, materialista, de culto ao corpo, midiática, onde propagandas criam a todo momento um padrão de como homens e mulheres devem ser, como devem se comportar, o que devem pensar. Criam um modelo ideal de vida baseado no dinheiro, no consumo, na beleza, na vaidade e na busca incessante do “sucesso” material, como se isso fosse o ápice da experiência humana e somente esse modelo fosse capaz de nos trazer felicidade e paz… não há nada mais falso do que isso. Toda essa conjuntura nada mais é do que uma forma de uniformizar as mentes e os corações dentro de um modelo pré-concebido que torne natural e desejável o consumismo, para que os ricos fiquem cada vez mais ricos e os pobres mais e mais pobres.

Diante disso, muitas pessoas acreditam que só serão felizes se forem magras, bonitas, bem sucedidas, ricas, etc. Por isso, ficam buscando a todo custo uma adaptação a esse padrão, a esse modelo ocidental de beleza e sucesso. O emagrecimento é um dos requisitos desse padrão. Por esse motivo, a todo momento mulheres recorrem a essas cirurgias de estética, a fórmulas mágicas de dieta, a produtos diversos e caros que prometem beleza e saúde, cremes x, y e z, etc, etc. Assim, cada hora vemos o surgimento de mais uma fórmula, de mais uma novidade, de mais um jeito fácil que numa passe de mágica vai realizar nosso sonho de adaptação forçada a esse modelo ideal ocidental de bem estar.

Agora parece que estão querendo levar isso para o espiritualismo, espiritismo, etc. Amigos, o objetivo de nossa caminhada espiritual não é o emagrecimento, não é a estética, não é a adaptação a um modelo de vida, mas sim o desenvolvimento de nossa alma, é o aproximar-se de Deus… é o amor, a paz, a verdade, a liberdade e a felicidade. Como alguém pode ter paz sempre preocupado com a estética e vaidade? Como alguém pode ser feliz sempre sentindo-se insatisfeita com seu corpo e comportamento quando não consegue seguir um padrão de beleza? Como alguém pode ser livre se está presa a necessidade de um modelo ideal de ser e estar no mundo? Como alguém pode amar a si mesmo se a todo momento a mídia, a propaganda e esse modelo nos diz “como devemos melhorar”? Tudo isso tem como pano de fundo o medo imenso que todo ser humano tem dentro de si de ficar sozinho. Sim, tudo isso é uma fuga da solidão, do vazio, do esquecimento.

Você sabe o que vai te fazer feliz de verdade? Libertar-se desses padrões pré-determinados… Deixar de lado modelos ideais de bem viver… Parar de seguir normas e regras humanas como se fosse reais e únicas… Não mais pensar pela cabeça dos outros… não se deixar levar pela manipulação da mídia e da propaganda… Ser feliz independente de normas, regras, modelos, padrões, estética, etc… Seja você mesmo. Não seja um produto pronto que a sociedade criou em você. Não existem esses padrões… antigamente as mulheres gordinhas eram as mais valorizadas… hoje em dia as magras são as mais valorizadas. Tudo depende da época, da cultura e dos ditames da mentalidade da maioria. Não existe certo e errado… o certo é você ser feliz, ter paz… e ter Deus em você. Mas quem achar que mesmo assim deve fazer, faça… só não perca de vista estas reflexões.

Pratique exercícios físicos, faça dieta, tenha uma alimentação saudável e orgânica… mas não fique se preocupando com sua estética, como se emagrecer fosse te trazer algo de bom, fosse melhorar sua vida, fosse te trazer um amor, fosse fazer você ser mais aceita na sociedade, fosse trazer amigos, etc. Não acredite nisso… essa é uma das maiores mentiras do nosso tempo.

Seja feliz…. esse é o maior sucesso que você pode conseguir na vida.

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas à distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

Read Full Post »

Nem ele pecou nem seus pais

 

“NEM ELE PECOU NEM SEUS PAIS”

Há uma passagem na Bíblia que fala sobre a cura do homem cego de nascença. Essa passagem parece contradizer a lei de causa e efeito e a reencarnação, pois Jesus fala que o homem cego “não pecou” para que a doença se abatesse sobre ele. Vejamos a passagem:

“E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença.
E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. (João 9:1-3)”

A pergunta que se faz aqui é: se nem ele nem os pais pecaram, como disse Jesus, onde entra a lei de causa e efeito? Para compreender esse ponto todos devem saber que os espíritos vem ao mundo para viverem experiências de dois tipos principais: provas e expiações ou em missão. O espírito pode escolher vir ao mundo para viver provações e assim evoluir, ou ele pode vir ao mundo em missão, quando é um espírito mais elevado.

No caso do cego do tanque de Siloé, o que aconteceu? O cego fazia parte de um grupo de espíritos que vieram ao mundo especialmente para serem curados por Jesus. Eles escolheram passar por essa prova para que pudessem estabelecer um laço mais estreito com o Cristo, e sendo profundamente tocados pela cura, tivessem a oportunidade de seguir de Jesus, olhar mais atentamente para sua obra, serem sensibilizados pelos prodígios que ele realizava, e assim, esses espíritos tinham uma oportunidade maravilhosa e sublime de evolução, de desenvolvimento espiritual a partir do contato com o ministério do Cristo na Terra.

Dessa forma, nem ele pecou para ser cego e nem seus pais pecaram, mas seu espírito escolheu, antes de nascer no plano material, viver a tribulação da cegueira, passar por todos os sofrimentos de uma grave enfermidade, para com isso se aproximar de Jesus e seguir seus passos rumo ao Reino de Deus. Se ele aproveitou ou não essa valiosa chance de evolução, não sabemos. Mas é certo que ele pediu para nascer cego e, assim, tomando contato com Jesus e a “obra de Deus” que o mestre veio trazer, ele pudesse despertar para a realidade do espírito que ele é.

Jesus explicou que “foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus”. O que é a obra de Deus? Tudo o que Jesus fez e todo o caminho que ele percorreu para conduzir os espíritos sofredores ao reino dos céus, à iluminação espiritual, mais próximo da perfeição do espírito, etc. Por isso, a cura do cego do tanque de Siloé não foi uma questão de karma, de faltas cometidas em vidas passadas, mas sim de escolha do próprio espírito que, num ímpeto missionário de guia para sua purificação, optou em nascer cego para que fosse curado e regenerado por Jesus.

Sim… ser curado por Jesus foi um privilégio imenso para esse espírito como para qualquer espírito. Não é difícil imaginar que, na época, foi feita uma fila imensa de espíritos que aceitaram de bom grado encarnar com as doenças mais terríveis e devastadoras tão somente para serem tocados pelas mãos sagradas do Cristo e receberem a cura…. não apenas a cura exterior, mas principalmente a cura interior.

A cura exterior, para o espírito, é irrelevante… mas a cura interior, essa vale infinitamente mais.

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas à distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

Read Full Post »

Os espíritos e as datas festivas

 

OS ESPÍRITOS E AS DATAS FESTIVAS

Os espíritos comemoram o ano novo, natal ou alguma outra data festiva?

Essa resposta é bem simples. Não, pois para os espíritos, não há tempo. Os espíritos vivem naquilo que chamamos aqui na Terra de eternidade. Não há passagem de dias, semanas, meses, anos ou eras… Há apenas o eterno agora… e é justamente no eterno agora onde reside a fonte de toda paz e felicidade infinita.

Podemos viver como os espíritos superiores e sermos eterna e infinitamente felizes e ter paz profunda. Basta que para isso passemos a viver plenamente o eterno agora. O momento presente é a fonte de toda criação. Alguns dizem que Deus criou o universo e os espíritos no passado. Mas se não há tempo e tudo o que existe é a eternidade… como Deus poderia ter criado algo no passado?

Não… Deus cria a tudo a todo momento. Justamente por isso a fonte de toda a vida não se encontra nem no passado nem num futuro distante onde só então poderemos nos tornar espíritos puros e perfeitos. Não… nada existe nem no passado nem no futuro. A vida só existe no eterno agora, assim como Deus, assim como a criação contínua, assim como a paz e a felicidade infinita.

Se você fica esperando algum momento do futuro para ser feliz ou ter paz de espírito… desculpe dizer isso, mas você já está morto. Esperar algo acontecer, é morrer a cada segundo. Viver de alegrias do passado é também morrer a cada segundo. Há um ditado que diz: “Quem espera sempre alcança”. Mas os espíritos são bem claros ao dizer que quem espera nunca alcança e viver infeliz, insatisfeito e é como se já estivesse morto.

Se a criação da vida existe no eterno agora, viver fora do agora é viver fora da fonte da vida… e viver fora da fonte da vida é o mesmo que morrer.

Chega de esperar algo… chega de memórias felizes ou infelizes do passado. Ou você para de esperar o próximo ano para ser feliz, ou você vai continuar assim… morto. Assim, respondendo a pergunta inicial, os espíritos mais adiantados não comemoram a passagem do ano, nem datas festivas, nem qualquer passagem temporal do mundo da matéria. Se eles já são eternamente felizes no agora, para que comemorar uma data, ou um tempo que nunca existiu?

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas à distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

Read Full Post »

Lei do merecimento

 

LEI DO MERECIMENTO

Tudo o que te acontece na vida atual, absolutamente tudo, sem exceção, está de acordo com a chamada lei do merecimento.

A Lei do Merecimento nos mostra que toda a nossa vida está exata e matematicamente da forma como nós a merecemos. Ela está em total e plena concordância com o que criamos em nosso passado, com aquilo que semeamos, com aquilo que fizemos, sentimos e pensamos.

Nada escapa da lei do merecimento. Uma pessoa que criou confusões no passado, vai receber confusão na vida atual para si mesma. Ela criou e agora vai ter isso de volta. Nada pode nos acontecer se nós não tivermos um merecimento em relação àquilo. Todas as experiências que vivemos são regidas por essa lei natural da vida.

Sem a lei do merecimento, onde estaria a justiça divina? Deus permitiria que algo nos ocorresse que não fosse do nosso merecimento? Se você perde muito dinheiro, é porque era para ser assim, de acordo com seu merecimento, de acordo com as experiências que seu espírito necessita para seu adiantamento, desenvolvimento e elevação espiritual.

Deus seria injusto, e consequentemente, não seria Deus… caso Ele permitisse que injustiças se abatessem sobre alguém. Se alguém não merece perder o dinheiro e Deus permite que isso ocorra… não haveria justiça, as leis de Deus seriam falhas, Deus não seria perfeito… e tudo seria um caos universal.

Se alguém discorda da lei do merecimento, deve começar a pensar como explicar que algo possa ocorrer a alguém que não merece. Deus permite então as injustiças? Mas como Deus pode permitir injustiças se Ele é plena e perfeita justiça?

A Lei do Merecimento é implacável, irresistível, inexorável e sempre… sempre se aplica.

Como se diz na Bíblia:

“Deus dá a cada um segundo suas obras.”

“Quem vive pela espada, perece pela espada.” (Jesus)

(Hugo Lapa)

 

Read Full Post »

Praticar o que se aprendeu

 

Palavras dos espíritos…

Hoje em dia o moderno espiritismo e espiritualismo se transformou numa “busca cultural”.

É considerado bom e elevado quem sabe mais, quem dá a melhor palestra, quem demonstra mais conhecimentos técnicos, quem une melhor a ciência e o Espiritismo, quem está mais atualizado com as recentes descobertas da Física que possam comprovar o espírito, quem leu mais livros, quem sabe citar Kardec e outros autores na ponta da língua, quem é capaz de versar sobre teorias com maestria usando o melhor vocabulário técnico-científico-filosófico…

Tanto é assim que hoje a figura de mais destaque no Espiritismo ou Espiritualismo é a figura do palestrante, que faz de suas palestras um “show” de erudição e eloquência. Somado a tudo isso, há um realce no caráter personalístico do orador, onde se exalta seu ego e o coloca como a fonte de todo saber e o modelo de conduta a ser seguido por todos.

As pessoas só esquecem de uma coisa… Esquecem de praticar aquilo que aprenderam, de fazer aquilo que elas mesmas ensinam, de realizar uma obra na Terra que esteja de acordo com suas pregações. Como está dito na Bíblia: “A letra mata, mas o espírito vivifica”. Nada pode nos acrescentar uma erudição vazia e sem alma… Qualquer conhecimento precisa vir acompanhado de uma boa dose de prática, caso contrário, nenhum valor tem para o plano geral do espírito.

De que adianta saber de cor o sermão da montanha se na minha vida diária eu não realizo 1% de tudo o que acumulei em minha mente? De que adianta ler os Salmos e recita-los para uma plateia empolgada e sedenta de saber se eu não saboreio o néctar da sabedoria em minha vida que essa obra proporciona? Conhecimento, erudição, ciência, cultura sem a contraparte prática é como recitar um cardápio sem sentir o gosto dos pratos.

Nunca deixaremos de repetir… A prática é a pérola da existência. Conhecimento pelo conhecimento é terreno seco e improdutivo. É preciso semear a obra e rega-la pela prática se não desejamos uma passagem na Terra vazia e sem sentido, onde perdemos nosso precioso tempo.

(Hugo Lapa)

 

Read Full Post »

Pátria e Espiritismo

 

BUSCAR OS INTERESSES DA PÁTRIA

Devemos buscar os interesses de nossa pátria?

O Livro dos Espíritos, que é a obra que lançou todas as bases da doutrina espírita, diz o seguinte

Para o espírito, “a pátria é o universo”.

Kardec comenta essa resposta:

“A situação dos Espíritos e sua maneira de ver as coisas variam ao infinito, na razão do grau de seu desenvolvimento moral e intelectual. Os Espíritos de uma ordem elevada geralmente fazem, na Terra, estações de curta duração. Tudo quanto aqui se faz é assaz mesquinho em comparação com as grandezas do infinito; as coisas a que os homens atribuem a maior importância são tão pueris aos seus olhos, que eles encontram poucos atrativos neste mundo, a menos que tenham sido chamados a fim de concorrer para o progresso da humanidade.”

A resposta dos espíritos superiores a Kardec e as palavras do próprio Kardec não deixam dúvidas sobre o posicionamento ideal com relação àquilo que chamamos de pátria. Existem aqueles que se dizem “nacionalistas” e que visam sempre os interesses de seu país. No entanto, o que é na verdade um país?

As diferenças de países, cidades, culturas, nacionalidades, territórios, etc… fomos nós que criamos. O ser humano criou determinadas linhas fronteiriças entre os espaços terrestres do nosso globo e denominou isso de “países”, “estados”, “distritos”, “cidades”, etc. Mas há de se refletir… Existem mesmo essas fronteiras que nós criamos? Essas linhas são reais? Alguns países colocam suas fronteiras em rios que passam e dividem um país do outro. Outros colocam montanhas como uma divisão e um estabelecimento de fronteiras. Outros traçam uma linha imaginária que separa uns dos outros.

Mas essa linha é apenas isso… imaginária: ela não é um limite real, mas um limite que nós mesmos impomos à geografia local. Uma montanha não é uma fronteira… é apenas uma montanha. Um rio não é uma fronteira… é apenas um rio. As fronteiras são decididas arbitrariamente pela mente divisionista do ser humano. Por isso não devemos buscar o bem de nosso país, pois este país não existe, é mera criação de nossa mente, de nossos valores, de nossa cultura, de nossas tradições. O mundo não tem fronteiras, ele é uno e todos nós somos espíritos irmãos vivendo as experiências terrenas evolutivas no mesmo orbe planetário… Não devemos buscar nosso bem, nossos interesses, a nossa melhoria, conquistar isso ou aquilo, ser melhor que outros povos, nos achar mais capazes, mais inteligentes, etc.

Devemos buscar o bem de todo o mundo… e não pensar apenas em nossos próprios interesses. Como disseram os espíritos superiores, para o espírito, a pátria é o universo, e quanto mais elevado é o espírito, menos ele se preocupa com os interesses de uma ínfima localidade. O universo é infinito, não tem fronteiras, divisões, nem linhas demarcatórias. Os espíritos superiores se veem como parte desse infinito e desse ilimitado… desse eterno sem dimensões e sem temporalidade.

Divisões, fronteiras e linhas demarcatórias só existem para nos dividir, para criar zonas de conflito e fazer uns brigarem com os outros pelos seus próprios interesses. Cada um defendendo seu lado e esse comportamento gerando um eterno conflito. Vamos dar fim a todas as divisões… e sermos como os espíritos elevados que dizem, claramente, que sua pátria é o universo infinito.

(Hugo Lapa)

Read Full Post »

Older Posts »