Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Poemas’ Category

Semeador do Bem

 

SEMEADOR DO BEM

Ser intolerante com quem é intolerante também é intolerância… É tão intolerância quanto a intolerância inicial.

Julgar quem julga também é um julgamento… É tão julgamento quanto o julgamento inicial.

Maltratar a quem nos maltratou também é uma maldade, também é algo ruim e reprovável. Maltratar quem nos maltrata nos coloca no mesmo nível do malfeitor.

Vamos analisar e refletir sobre a reação dos nossos atos. Mesmo que estejamos reagindo a um erro, a uma maldade, a uma intolerância, não importa…

A forma como reagimos, como respondemos, pode ser tão equivocada ou até pior do que a atitude inicial.

Tratar com violência os violentos só nos faz violentos…

Tratar com antipatia os antipáticos só nos torna antipáticos…

Tratar com indiferença aqueles que são indiferentes a nós também nos faz indiferentes…

Tratar com agressividade os agressivos nos deixa mais agressivos… Nos torna iguais à violência inicial.

Além disso, nos torna pessoas hipócritas por praticar o mesmo erro daquele que condenamos.

Não se torne intolerante por causa da intolerância.

Não se torne julgador diante dos que julgaram.

Não se torne agressivo a partir de uma agressão.

Procure seguir sempre a máxima da espiritualidade:

“Não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com você.”

Não semeie nova colheita de maldade no mundo… Seja um semeador do bem, do amor e da paz.

 

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas à distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

Read Full Post »

Ensinamento mais importante

 

O ENSINAMENTO MAIS IMPORTANTE
 
Qual é o ensinamento mais importante da vida espiritual?
A pérola sagrada de sabedoria, a meta do espírito vivendo a vida material consiste em algo bem simples, mas de difícil aplicação.
O objetivo do ser humano na Terra é o encontro consigo mesmo para que assim possa vencer a si mesmo.
Vencer a si mesmo significa encarar a si mesmo, contemplar a si mesmo, ir além de si mesmo;
Significa olhar para si com honestidade e clareza, sem ilusões, sem enganações, sem jogos, sem dissimulações.
O homem precisa ir além do homem; mulher além da mulher.
Assim como o aluno da primeira série precisa passar para a segunda série; ou o corredor precisa melhorar sua velocidade.
A mulher que foi traída precisa vencer a si mesma desprendendo-se da traição, da mágoa e da tristeza.
O ladrão precisa renunciar a violência e tornar-se tranquilo e honesto.
O homem ganancioso precisa compreender o valor da dádiva, e superar o egoísmo de pensar apenas no ganho pessoal.
O homem perfeccionista precisa soltar o desejo de uma vida ideal, que promove autocobranças, culpas, autopunições e intolerância aos próprios erros.
O homem apegado e ciumento precisa deixar sua companheira livre para ser, precisa ir além da posse, abrindo mão do domínio e do sentido de propriedade em relação ao outro.
Todos nós precisamos desamarrar os laços que nos prendem ao passado para que possamos viver no presente.
A mãe que vive em função dos filhos e por isso perde sua vida precisa urgente superar esse apego.
A mulher que vive na ilusão do marido retornar precisa superar esse autoengano e seguir em frente.
O religioso ortodoxo precisa abrir mão de suas crenças e entender que ninguém sabe tudo e que a vida é um mistério.
O homem guloso precisa desfazer-se do desejo de comer e do prazer dos sabores.
O egoísta precisa aprender a dar o que tem, antes que a vida lhe tire suas posses.
Somente com a superação dos nossos vícios, das nossas crenças, dos nossos desejos, das nossas posses, do ideal de certo e errado.
Somente quando o ser humano vai além de tudo isso, é que ele pode viver verdadeiramente feliz.
Superar a si mesmo, ir além dos nossos limites, é um magno objetivo do ser humano neste mundo.
O ser humano é como um quadro que o espírito pintou. O espírito se apega ao quadro pensando ser ele mesmo.
O ser humano é como uma roupa que o espírito veste. Acreditando ser a roupa, o espírito cai na ilusão e perde nos sofrimentos do mundo.
É preciso jogar o quadro fora; é preciso desfazer-se da roupa, para que o brilho do espírito não fique mais ofuscado pelas prisões mundanas.
Quais são as suas prisões? O que você precisa abrir mão? Quais são seus medos, suas crenças, seus limites, seus vícios, seu orgulho, sua vaidade?
O iluminado é aquele que abriu mão de tudo, até de si mesmo, para ser feliz e ter paz.
Supere a si mesmo… O sofrimento terminará… A turbulência interna deixará de existir.
Não há nada mais importante para nossa alma.

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas à distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

 

Read Full Post »

Nossos filhos são espíritos

 

peg280

 

NOSSOS FILHOS SÃO ESPÍRITOS

Como diz a máxima de sabedoria espiritual:
“Nossos filhos não são nossos filhos.”
São apenas espíritos parceiros, irmãos espirituais numa mesma jornada de evolução…
Vamos entender de uma vez por todas que não existem pais e filhos…
Do ponto de vista espiritual, não há pai, mãe, filho ou qualquer outro papel biológico.
Existem apenas espíritos que se ajudam num mesma caminhada espiritual…
Entenda que seus filhos não são seus filhos… são filhos de Deus.
Deus é o único pai de todos nós.
Um Pai eterno, que tudo vê, tudo sabe e está presente em todos os lugares.
Um Pai eternamente vigilante, que não dorme e sempre cuida dos seus filhos.
Somos todos filhos de Deus, filhos e filhas de um mesmo Pai celestial.
Como filho de Deus, você tem o sagrado direito a maior herança que existe em todos os tempos.
Essa herança é o cosmos infinito… que te pertence e que no qual você viverá a eternidade.
Por que se preocupar com o destino dos nossos filhos?
Acaso esse pai eterno e infinito, onipresente, onipotente e onisciente, deixaria seus filhos abandonados a sua própria sorte?
Ou Deus, sendo soberanamente justo, bom e perfeito, sabe melhor do que nós como cuidar de seus filhos?
Julgamos que sabemos melhor do que a perfeição divina o que é bom para nossos filhos?
O pai terreno pode abandonar, pode morrer, pode se magoar, pode falhar, pode duvidar, pode errar de diversas formas com seus filhos.
Mas o Pai eterno jamais erra, jamais abandona, jamais duvida, jamais morre e está sempre presente.
A mãe e o pai terrenos desejam obter a posse do filho. Proclamam aos quatro ventos: “É MEU filho”.
Nada mais falso, pois os filhos são espíritos livres e independentes que tem seu passado, sua história, suas experiências e seu próprio destino.
Os pais que desejam ter a posse dos filhos e desejam controlar seu destino deverão prestar contas diante de Deus, o verdadeiro Pai.
Não tem problema o filho do outro ser lixeiro… meu filho vai ser doutor.
É certo que muitas vezes os filhos ensinam muito mais aos pais do que os pais aos filhos.
Por que nos arrogamos o direito de dizer-lhes o que fazer, o que pensar e como devem ser?
Aquele que acredita saber o que é melhor para os filhos se engana imensamente, está mergulhado numa grande ilusão.
Não temos o direito de decidir por eles, de controla-los e menos ainda de fazer deles nossa imagem e semelhança.
Eles devem ser livres para ser, fazer e pensar o que desejarem.
Não há o que se preocupar, pois há um Pai perfeito cuidando deles.
Na hora da prova, o Pai acompanha seus filhos… Deus permite que eles errem para que aprendam com as consequências dos seus atos.
Como disse Jesus: “Se vós, pois, que sois maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai celeste dará boas coisas aos que lhe pedirem”.
Nossos filhos são espíritos… entenda isso e entregue-os nas mãos de Deus.

 

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas à distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

Read Full Post »

Pessoa madura

 

VOCÊ É UMA PESSOA MADURA?

Quando podemos considerar que uma pessoa amadureceu verdadeiramente?

Quando essa pessoa parou de culpar o outro por tudo.
Quando essa pessoa parou de achar que é o outro que fez algo errado.
Quando essa pessoa parou de atirar pedras no outro.
Quando essa pessoa parou de ser intolerante e começou a aceitar o outro.
Quando essa pessoa parou de ter ódio do outro, ter mágoa do outro e passou a ver suas próprias atitudes.
Quando essa pessoa parou de viver pelo outro; parou de viver em função do outro; parou de viver apegada ao outro; parou de viver pensando apenas em alguém… A pessoa madura não vive mais esperando o outro, mas vive sua própria vida.
Quando essa pessoa parou de acreditar que a sociedade é ruim; que o estado é ruim; que a escola é ruim; que o vizinho é ruim; que a religião é ruim… e passa a entender que o que importa de verdade é o que nós fazemos e não o que o outro nos faz. E importa mais ainda o que fazemos a partir do que o outro nos faz.
Quando essa pessoa parou de acreditar que ela tem plena capacidade de analisar o outro, julgar o outro, rotular o outro, condenar o outro, conferir valor ao outro ou tirar o valor do outro.
Uma pessoa madura não fica olhando e analisando os outros, ela presta atenção apenas em si mesmo, em sua autoanálise, em sua auto-investigação, em seu auto-aperfeiçoamento e para de se preocupar em como o outro age e vive.
Uma pessoa madura não fica prestando atenção no outro; não fica culpando o outro; não fica olhando para fora, olhando para o exterior…
Aquele que amadureceu olha para si mesmo; presta atenção em si mesmo; analisa a si mesmo; enxerga seus próprios defeitos, suas imperfeições, seus preconceitos, seus limites, suas chagas, suas idiossincrasias, suas impurezas, etc.
O maduro não fica prestando atenção na atitude do outro em si… Ele presta atenção em como ele mesmo reagiu; no que ele mesmo sentiu; no que ele mesmo fez a partir do que o outro lhe fez. A pessoa madura analisa apenas a sua reação e não a ação do outro. O que me levou a reagir daquela forma? A sentir o que eu senti com o ato do outro? É isso que importa…
A grande diferença entre uma pessoa madura e uma pessoa imatura é esta: o maduro olha para si mesmo e procura se reconhecer tal como é. O imaturo olha sempre para o outro, vê tudo de errado no outro; acredita que a culpa é sempre do outro; que o mal vem do outro.
O mal nunca está nele; o mal está sempre no outro. Assim é a pessoa que ainda não amadureceu.
Tire o foco do outro e passe a prestar atenção nas suas atitudes, nas suas limitações, nos seus erros e nos seus preconceitos.
Procure entender que não é o outro que tem problema, o problema está em você, pois você vê o outro da forma como vê a si mesmo.
Se o outro lhe parece impuro, é porque você detém essa impureza dentro de ti mesmo.
Não importa como o outro leva sua vida… Importa apenas como você conduz a si mesmo.
O outro é o outro… você é você. Preste atenção em você e deixe o outro viver a vida dele em paz.
Seja, pois, íntegro, sincero, honesto, puro e sem preconceitos. Deixe o outro ser como ele quiser e não dê mais valor a isso.
Não há nada mais aprisionador do que passar a vida prestando atenção em como o outro a vive e apontando seus erros…
E não há nada mais libertador do que olhar para si mesmo e se enxergar tal como se é….
O imaturo tem medo de olhar para si mesmo… O maduro encara sua sombra de frente e busca sua purificação.
Se você ainda não amadureceu, não perca mais seu tempo…
Pare de culpar o outro e passe você mesmo a se responsabilizar pela sua vida.

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas à distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

Read Full Post »

Felicidade não é deste mundo

 

A FELICIDADE NÃO É DESTE MUNDO

Você não deve pensar em casar para ser feliz…

Você deve ser feliz primeiro com a pessoa, para depois decidir casar com ela.

As pessoas invertem a ordem natural das coisas. Depois não entendem porque as suas vidas não dão certo e porque não conseguem ser felizes.

Há algum sentido em casar para ser feliz? Como pode o casamento lhe dar algo que você não conseguiu sozinho?

A ordem correta da nossa vida deveria ser:

Primeiro ser feliz mesmo estando sozinho. Quando somos felizes sem precisar de ninguém, somos felizes de verdade.

Depois de ser feliz sozinho, pode chegar alguém que vai compartilhar dessa felicidade conosco. Não acredite jamais que essa pessoa vai te fazer feliz. Ela vai apenas viver essa felicidade junto com você. Ambos vão emanar felicidade um ao outro. Nenhum deles vai trazer ao outro o que o outro já não tenha dentro de si. Ninguém pode dar o que não tem por si mesmo.

Meus amigos, entendam de uma vez por todas a máxima de que ninguém faz ninguém feliz. Ou somos felizes por nós mesmos, de forma natural, dentro da espontaneidade de nossa alma, ou jamais seremos felizes com alguém.

Depois que alguém encontra uma pessoa que é feliz junto com ela, e não que traz uma felicidade antes inexistente, aí sim, nesse momento, você pode pensar em se casar.

A felicidade ninguém te traz; a felicidade se compartilha. A felicidade consiste em cada um ser feliz ao seu modo, respeitando um a maneira do outro ser feliz. Quando ambos são felizes, a alegria de um acrescenta na do outro. Mas quando um traz ilusoriamente a felicidade ao outro, nenhum dos dois é feliz e o casamento tende a dar errado. Nesse momento começam as cobranças, as brigas, o ciúme, a posse, o controle, os jogos psicológicos, etc.

Mas quando há esse encontro de duas felicidades já estabelecidas, podemos admitir a ideia de passar nossa vida com esse companheiro ou companheira que é feliz conosco, e não que nos traz a felicidade.

Depois que duas pessoas são felizes compartilhando juntas os bons e maus momentos na vida, uma ajudando a outra; uma sendo o instrumento da evolução da outra… Não se deve acreditar que essa felicidade será para sempre, pois isso não é possível.

A felicidade do mundo material é sempre passageira, pois é condicional. Depende de certas causas e condições para ser realizada. Mas a felicidade espiritual, essa é incondicional, não depende de acontecimentos no mundo para ser plena. A felicidade espiritual se realiza por si mesma… ela não precisa disso ou daquilo para existir.

A felicidade espiritual não prescinde de marido ou esposa; não requer bens e riquezas materiais; não necessita de uma união familiar estável; não existe condicionada à saúde ou à ilusória qualidade de vida no mundo.

A felicidade espiritual independe do mundo, dos seus sonhos, de suas fantasias, de suas falsas esperanças e seus prazeres efêmeros. A felicidade espiritual se plenifica em si mesma: é independente; é eternamente presente; é pacífica; traz uma riqueza interior infinita que o ser humano jamais sonhou nem sequer pode imaginar.

Jesus disse: “Meu reino não é deste mundo”. O mesmo se pode dizer da felicidade. Esta também não é deste mundo. Ninguém será verdadeiramente feliz aqui na Terra. Você pode até acreditar que é feliz… Mas pense bem: se você perder tudo o que você possui, você ainda assim seria feliz? Se você perder seus amigos, sua família, seus filhos, sua profissão, seus bens, seu patrimônio, sua casa, suas terras, sua saúde, você ainda assim seria feliz?

Se a resposta é não, você tem uma felicidade condicionada pelas coisas desse mundo. Mas se sua resposta for sim… você já possui a felicidade real, a paz real, a liberdade real, a espiritualidade não condicionada, espontânea e, essa sim, pautada na realidade.

Felicidade é o bem mais precioso que podemos ter… Assim como a paz e a liberdade. São dons divinos que existem quando estabelecemos um contato com nossa alma e com a fonte de toda a vida, permitindo que a existência universal flua livremente em nós. Não há nada melhor do que sentir internamente a paz espiritual e a felicidade da alma.

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas à distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

Read Full Post »

Visão espiritual da vida

 

 

VISÃO ESPIRITUAL DA VIDA
 
Quando vemos alguém em sofrimento, nossa primeira reação é sempre de dar conselhos que reforcem o lado mundano da vida.
Seu pai está doente? Calma, ele vai se curar.
Sua mãe está quase morrendo? Fica tranquilo, ela vai sobreviver.
Quando alguém está triste, nossa primeira reação é: não fica assim não.
Quando alguém está chorando, dizemos: não chora…
Quando tudo está mal, dizemos: não se preocupe, vai dar tudo certo.
Há de se perguntar uma coisa:
Vai dar tudo certo mesmo? O que é dar certo para essa pessoa? Será que a vida dá certo da forma como nós julgamos o certo?
Não chora? Mas não devemos chorar por quê? O choro é algo natural… Ajuda a aliviar as emoções. É bom chorar e colocar toda a carga para fora…
“Não fica triste não”. Por que alguém não deve ficar triste? Qual o problema em vivenciar a tristeza? É melhor fingir que se está alegre ou forçar uma falsa felicidade?
Nada disso faz sentido… Nossa sociedade prefere fugir da dor, da perda, do errado, da doença.
Mas o melhor caminho é modificar o nosso olhar, ver tudo com outra visão, enxergar tudo sob outra perspectiva.
A visão espiritual da vida é mais real, mais verdadeira, não é uma fuga e é muito mais consoladora.
É melhor dizer:
Uma doença? Não se preocupe… Ela vem para te curar.
Alguém vai morrer? Ninguém morre… Quando alguém morre na matéria, ela renasce no plano espiritual.
Você perdeu algo? A perda no mundo abre espaço para o ganho espiritual.
Tudo está dando errado? Não… Tudo já está dando certo, mas às vezes é preciso dar errado para aprendermos a ver o certo…
É preciso chegar o mal para o transformarmos em bem.
É necessário que venha a crise para surgir a oportunidade e a abertura de um novo caminho.
Devemos atravessar a escuridão da madrugada para que o áureo alvorecer floresça no dia seguinte.
Uma porta deve ser fechada para que outras possam ser abertas.
A vida humana deve chegar ao fim… Para que a vida espiritual possa começar.
Não veja mais as coisas do ponto de vista do mundo humano e do ego.
Passe a enxergar tudo dentro de uma visão espiritual da vida.
Essa visão, certamente, não vai te decepcionar…
 
(Hugo Lapa)
 
Tratamento espiritual de vidas passadas a distância
 
portaldoespiritualismo@gmail.com
 

Read Full Post »

Frutos do Bem

 

OS FRUTOS DO BEM

Quando vivemos nossa vida de forma plena e feliz… não ficamos nos preocupando em como o outro escolheu viver a vida dele.

Aquele que é feliz consigo mesmo, não fica se metendo na vida do outro, não fica querendo interferir em como o outro vai viver.

Aquele que se aceita como é… tenderá também a aceitar o outro da forma que ele é ou que ele quer ser.

Mas aquele que não gosta de si mesmo, que rejeita a si mesmo, que tem aversão a certos aspectos de seu comportamento, vai desgostar do outro, vai rejeitar o outro, terá aversão do comportamento do outro.

Quem está satisfeito consigo mesmo… não tentará moldar o outro naquilo que ele acredita ser o correto.

Quem não está satisfeito consigo mesmo, vai sempre tentar modificar o outro; alterar o comportamento do outro, ditar regras ao outro, colocar-se acima do outro, achar que o outro tem algo errado.

Aquele que vive bem, quer ver o outro bem. Aquele que vive em paz, quer que o outro viva em paz; aquele que vive feliz, aspira a felicidade de todos.

Desejamos para todos aquilo que existe de mais sublime dentro de nós.

Quem tem uma escuridão dentro de si, anseia que o outro experimente essa mesma escuridão.

Quem tem Deus dentro de si, quer que todos vivam plenamente com Deus dentro de todos.

A felicidade possui o impulso da expansão. Ela quer se espalhar para todos. Mas a infelicidade também quer ser espalhada.

Se um dia você tiver dúvidas se está bem ou está mal, entre dentro de si e procure descobrir qual sentimento você deseja ao outro.

Se você deseja o bem para todos, você está bem. Se deseja apenas o mal, você está mal.

O mal que você deseja, é o mesmo mal que existe em seu interior e que te destrói. É exatamente o mesmo mal que surgirá em toda a sua vida. É o mal que você viverá e atrairá. É o mesmo mal que te assombrará até ser resolvido e transformado.

Aprenda a máxima: Só podemos dar ao outro aquilo que temos dentro de nós

Fique primeiro de bem contigo mesmo, pois somente assim seu bem poderá transbordar ao mundo.

A macieira não pode dar banana; a bananeira não pode dar limão. A rosa não esparge o aroma do lírio. Da mesma forma, o homem mau pode oferecer apenas o mau que tem em si. O homem de bem pode oferecer os frutos do bem que vem de sua alegria, de sua paz, de sua felicidade, de sua liberdade.

(Hugo Lapa)

Tratamento espiritual de vidas passadas a distância

portaldoespiritualismo@gmail.com

 

 

 

Read Full Post »

Older Posts »